quarta-feira, 18 de abril de 2018











Por que algumas mulheres usam faixas na cintura?







Certamente já deve ter visto que em todas as roupas femininas tradicionais nativas se usam "faixas" ou cintos largos na cintura. 
Estas peças tão lindas não são meramente para segurar as saias ou compor um visual místico de mulher medicina. Tem uma razão de ser muito mais profunda, cheia de sabedoria e conhecimento.
Com toda certeza já deve ter ouvido de sua avó ou mãe para não pegar friagem pois causaria "frio no útero" ou cólicas terríveis quando a menstruação chegasse. Não é mesmo?

Pois bem elas estavam certas, muitas curandeiras, parteiras e sobedoras antigas usavam esse termo para esta male que é considerado uma das principais causas de infertilidade feminina dentro das medicinas ancestrais indígenas.

O útero é um órgão oco e cheio de vida, e como tal carrega o dom mágico de gerar e dar forma à vida humana!
Mas por ser receptivo e acolhedor pode conter frios ou calores que ao final danificam seu funcionamento quando não cuidado.

Como é que chega frio no útero, você deve estar a se perguntar?

Isto é mais comum do que imagina, a todas nós acontece ou aconteceu esse frio e ele pode "ficar" facilmente no útero caso ande nestas situações que colocarei abaixo:

* Andar descalças ou sentar em um chão frio. Os nervos dos pés e glúteos sobem para a medula espinhal e unem-se a ela à altura da região lombar e sacral, quando recebem essa temperatura o frio também passa para os nervos e músculos, até mesmo nos ossos, e tende a ficar alojado no útero, que é quem guarda tudo nas mulheres.

* Ficar muito tempo com a roupa de banho molhada. O contacto direto do frio e umidade por espaços de tempo prolongados também resfria nosso útero.

*Ter barriga e costas descobertos em dias frios. Se as saias e calças deixarem a lombar e ventre no frio facilitará a entrada do frio ao útero.

Gostaria de saber se tens frio no útero?

É tão simples e comum que ficarás surpreendida: qualquer cólica menstrual forte que se alivie com calor é resultado de frio no útero. O frio encolhe a espessura das veias e artérias, tornando-as mais pequenas do que o normal. Quando o processo de menstruar é dado, e as artérias que soltam o endométrio fazem seu trabalho causa muita dor devido ao choque de temperaturas do calor do sangue com o frio do útero.

Nossas avós e mulheres antigas sabiam isso muito bem e muito de sua fertilidade vinha desse saber. Por isso é que usavam as cintas, para proteger o útero e rins (barriga e costas baixa) do frio evitando assim as cólicas menstruais e certos casos de infertilidade.

Espiritualmente o ato de se cobrir o umbigo e ventre com um cinto faz com que as energias nocivas do ambiente não entrem no corpo da mulher, protegendo-a assim de ficar carregada, doente ou esgotada nos períodos de lua (menstruação) que é onde ficam mais vulneráveis a essas baixas.
Para fortalecer a proteção pode se usar um pouco de tabaco natural (não de cigarro industrial) dentro da cinta para potencializar a proteção do útero.

Recomendação: procure um cinto largo, pode bordar, tricotar e rezar nele ou pode comprá-lo também. 

Use quando estiver em lugares frios, quando você estiver na lua (menstruada) ou quando quiser se sentir protegida em lugares hostis.

A proteção e cuidado da mulher começa no útero dela, santuário sagrado de vida e amor. Cuidemos bem de nossas taças sagradas. <3

Postagem original LunaCup (via Aprendiendo en la cultura Anahuaca), traduzido e acrescentado saberes por Sopro da Luah.





Chamam de bruxa.....








"Chamam de bruxa as mulheres que assumem seu poder pessoal. As que não têm medo de ser livre.
Chamam de bruxa as mulheres que cheiram a ervas e que as cultivam em seus jardins.
Chamam de bruxa mulheres que ensinam brincadeiras às crianças e brincam com elas, mesclando a mestre e a aprendiz.
Chamam de bruxa as mulheres que sonham seus encantamentos, que encontram respostas no vento, que sentem o cheiro da chuva chegando com as nuvens ainda leves de água...
Chamam de bruxa todas as loucas que falam com seus bichos, as que se encantam com pássaros, que se comovem com seus cantos.
Chamam de bruxa, mulheres que trocam um par de sapatos novos por um passeio na praia e uma ida ao shopping, por um banho de cachoeira.
Chamam de bruxa, mulheres que caminham descalças, que secam cabelo com a brisa da manhã, que se entregam ao luar com a mesma intensidade que uma loba uiva, nas noites de lua cheia!
Chamam de bruxa, as que fazem ungüentos, preparam chás, penduram ervas nas janelas, que se sentam na terra e trocam com ela, a sabedoria mensal, imersa em seu sangue sagrado.
Chamam de bruxa todas as que encontram em seu canto sagrado e nas marcas de seu rosto, o mapa de sua sagrada jornada.
Chamam de bruxa aquelas que têm como templo, as estrelas e o firmamento, como sagrado as águas que correm pelos campos, e firmam seus passos no solo que as sustentam.
Chamam de bruxa as que se abençoam por serem: Mulheres benditas, geradoras de vida, cuidadoras por natureza, fênix por natureza, ainda que esmagadas diariamente pela hipocrisia humana.
Chamam de bruxa as que brilham, mas que caminham sob o manto da simplicidade.
Chamam de bruxa as que iluminam, mas que caminham por entre as sombras, levando sua luz aos que necessitam, sem julgamentos, apenas no acolhimento da alma.
Chamam de bruxa as que possuem a coragem de ser quem são, sem medo, apenas com o coração repleto de amor e que em seus intentos espalham sementes do bem..." (trecho do texto de Kareen Ponce)



Plantas talismânicas



Certas plantas sempre tiveram grande importância na
 ciência talismânica:


Amaranto (flor de): num saquinho; atrai a proteção e o favor dos poderosos.

Angélica (flor de): num saquinho; protege conta feitiços.

Artemísia (flor de): num saquinho; protege contra encantamentos e más influências.

Crisântemo (flor de): num saquinho; protege contra malefícios.

Nenúfar (flor de): num saquinho; conserva e aumenta a potência sexual.


Urtiga (folhas): num saquinho, secas; revigora e dá novas forças.

Peônia (flor de): num saquinho; preserva contra malefícios.

Rosa vermelha (flor de): num saquinho; favorece a concepção.


Tabaco (folhas): num saquinho; favorece a concentração intelectual.

Arruda (folhas): num saquinho; absorve maus fluidos, protege contra mau olhado.

Guiné (folhas): num saquinho; tem função similar à da arruda.

Espada-de-são-jorge: viva, num vaso na porta da casa; protege contra a inveja e o mau olhado.